Do estacionamento à Gestão da Mobilidade

A estratégia de mobilidade urbana da capital agrega políticas de transporte, trânsito e uso do espaço público, que têm em conta a sustentabilidade ambiental. Para ajudar a transformar Lisboa numa cidade cada vez melhor, a EMEL tem desenvolvido diferentes projetos e atividades, de que são exemplos:

Soluções alternativas de mobilidade


Como projeto emblemático da nova atuação da empresa, a EMEL está a implementar a rede GIRA. Bicicletas de Lisboa, que é o novo meio de transporte em Lisboa. Como principal foco, estão as pequenas deslocações casa, trabalho, atividades ou ligação a outro meio de transporte dos residentes e trabalhadores na cidade, que até Março já realizaram mais de 150.000 viagens em GIRA.

 

No total estão previstas 140 estações e 1410 bicicletas, das quais a maioria é assistida eletricamente e facilita a subida de qualquer colina da cidade.

 

Em articulação com CML e Carris está previsto o estudo de outros serviços, que facilitem o dia-a-dia de quem circula na cidade.

 


Melhoria da qualidade do espaço público


São vários os exemplos de intervenções da EMEL nesta área, sendo o de maior dimensão o ordenamento da frente ribeirinha entre o Cais do Sodré e o Campo das Cebolas, onde a melhoria da circulação do peão foi uma prioridade.

 

Também pensando no peão, a EMEL tem vindo a implementar soluções com meios mecânicos que facilitam a sua deslocação, sendo exemplos os elevadores que ligam a Baixa ao Castelo ou as construções em curso do funicular da Graça e escadas rolantes da Mouraria.

 


Formação e sensibilização


A formação cívica e a sensibilização e capacitação das próximas gerações para a importância dos temas da mobilidade, uso dos transportes públicos e de meios alternativos de mobilidade, são a base do programa da EMEL Pela Cidade Fora. 

 

Este programa inclui um conjunto de ações e atividades em torno da mobilidade, que inclui a produção de livros para diferentes idades; aulas para aprender a andar de bicicleta e a ação Mini Fiscal que leva as crianças a fiscalizar as diferentes infrações de estacionamento que tanto perturbam a vida da cidade.

 

Apostando na formação continua dos seus mais de 500 colaboradores, a EMEL criou a Academia EMEL que assegura a formação interna das diferentes áreas da empresa, bem como externa como apoio a entidades terceiras que atuam na área da gestão da mobilidade em diferentes áreas do País.

 


Modernização e transformação


A EMEL tem apostado numa forte modernização tecnológica interna e externa.

 

A App ePark que tem mais de 250.000 utilizadores e representa perto de um quarto dos pagamentos na via pública e a App GIRA que reúne todas as funcionalidades e informações para o utilizador GIRA, são dois exemplos claros deste esforço de modernização e da otimização da experiência de utilização.

 

Entre as novas prioridades, estão a extensão de serviços, como o ePark em parques de estacionamento ou a criação de sinergias com plataformas terceiras. Soluções de simplificação, desmaterialização e sensorização estão na agenda e prometem aumentar relevância e melhorar ainda mais a experiência de utilização.

 

Com base na sua experiência, a EMEL participa regularmente em projetos Europeus que têm como objetivo identificar soluções para temas da mobilidade ou testar novas formas de gerir e melhorar a mobilidade nas cidades. 

 


Estacionamento na Via Púbica


Sendo uma área com forte impacto na qualidade de vida da cidade, o estacionamento continua a ter um papel importante na atividade da EMEL.

 

A rotatividade da utilização dos lugares de estacionamento, a fluida circulação na cidade e a proteção de residentes e de pessoas com necessidades especiais, são princípios que pautam a ação da EMEL nesta área. A fiscalização de infrações que prejudicam a vida da cidade, como sejam os estacionamentos em segunda fila, em lugares de deficientes ou em eixos reservados a residentes são áreas onde a EMEL está a reforçar a sua atenção.

 

Em termos geográficos, continua a alargar a área gerida pela EMEL, estando previsto o reforço de 20.000 lugares em 2018, definidos em articulação com CML e Juntas de Freguesia. Para fomentar a mobilidade alternativa ao automóvel, está ainda previsto que nas intervenções de reordenamento que realize entre 2017 e 2018 a EMEL crie 4.000 lugares dedicados a motas.

 


Parques de Estacionamento


Também está em curso o reforço da rede de parques de estacionamento gerida pela EMEL, estão a ser construídos novos equipamentos em diferentes áreas da cidade, sendo um dos mais emblemáticos o Parque do Campo Cebolas. 

 

Para responder às necessidades de residentes e comerciantes em áreas sensíveis da cidade, como sejam Campo de Ourique, Rato, Largo da Graça e Santos, estão a ser aí criados novos parques de estacionamento.

 

A outro nível e em articulação com a CML e a Carris, estão a ser desenvolvidos Parques dissuasores junto a interfaces de Transportes Públicos que pretendem evitar a entrada de veículos na cidade, sendo o primeiro desses Parques o Parque da Ameixoeira. Em desenvolvimento estão ainda os Parques dissuasores da Pontinha, Moscavide, Bela Vista e Areeiro que vão ser solução de estacionamento junto a diferentes entradas da cidade.

 

Continuamos a trabalhar para o ajudar a viver e circular melhor em Lisboa!